Este é o Miscelânea, por Júlio Lucas

English French German Spain Italian Dutch Russian Hindi Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
Translator By Ferramentas Blog

quarta-feira, 22 de maio de 2013

GIRO PELO MUNDO NO MISCELÂNEA


AMÉRICA DO NORTE:

Agente do FBI mata suspeito de ligação com atentados de Boston


Um agente do FBI matou nesta quarta-feira, dia 22, um suspeito de envolvimento com os atentados contra a Maratona de Boston, que deixaram três mortos e mais de 200 feridos no dia 15 de abril. 

Segundo informações da emissora NBC, o homem era o checheno Ibragim Todashev, de 27 anos, que vinha sendo interrogado por supostas ligações com Tamerlan Tsarnaev, um dos irmãos suspeitos do crime. Os dois tinham se conhecido em competições de lutas marciais e se tornaram amigos. 
Abordado por policiais em Orlando, na Flórida, Todashev foi cooperativo e concordou em ser interrogado. No entanto, após algumas perguntas, ele decidiu atacar um dos agentes, que reagiu. O FBI não deu detalhes do caso. 
Um amigo do rapaz, Khusn Taramiv, disse à emissora WFTV que também foi interrogado pelo FBI. Os dois estavam sendo seguidos desde que Tamerlan e o irmão, Dzhokhar, foram identificados.


Oklahoma: Buscas por sobreviventes são substituídas por trabalhos de limpeza


Os trabalhos das equipes de resgates em Oklahoma City avançaram a madrugada e continuam nesta quarta-feira (22). As autoridades acreditam que todas as pessoas atingidas pelo desastre já foram localizadas.

O tornado atravessou a região de Moore na segunda-feira (20) deixando um rastro de destruição de 23 km de comprimento e 2 km de largura por vários quarteirões e pelo menos 24 mortos, além de cerca de 240 feridos.
O comissário do condado de Oklahoma, Brian Maughan, acredita que não há mais desaparecidos. As atenções nesta quarta estão focadas no início dos trabalhos de limpeza. Ainda assim as equipes de cães de busca e salvamento devem continuar a procura ao longo do dia para garantir que não tenha mais pessoas presas sob os escombros.
Ontem o Serviço Meteorológico Nacional atualizou o cálculo da força da tempestade de 4 para uma rara EF5. A mais poderosa classificação na escala Fujita.

ORIENTE MÉDIO:

Aumenta apoio de Irã e Hezbollah a Bashar al-Assad

O secretário de Relações Exteriores britânico, William Hague, disse nesta quarta-feira que o Irã e o grupo militante xiita libanês Hezbollah estão dando apoio crescente ao presidente sírio, Bashar al-Assad, garantindo sua sustentação no poder. 
Falando antes de uma reunião da aliança Amigos da Síria na capital jordaniana, o secretário disse ainda que a Grã-Bretanha vai exortar as potências internacionais a definir uma data nos próximos dias para uma conferência internacional para tentar acabar com o conflito de dois anos na Síria, que ameaça a estabilidade regional.

Após atentados, Turquia fecha última passagem de fronteira com a Síria

A Turquia fechou seu lado da última passagem de fronteira com a Síria ainda controlada pelo governo do presidente Bashar al-Assad, intensificando a segurança após dois atentados neste mês numa cidade turca.
Cinquenta e uma pessoas morreram nas explosões de dois carros-bomba na cidade fronteiriça de Reyhanli, no sul da província de Hatay, em 11 de maio, aumentando os temores de que a guerra civil da Síria esteja avançando para países vizinhos.
A Turquia acusa a Síria de envolvimento nos ataques, embora Damasco negue qualquer participação.
O portão foi inicialmente fechado um dia depois dos atentados para impedir que os responsáveis fugissem para a Síria.

EUROPA:

Recessão na Itália leva milhões de pessoas à pobreza

De acordo com relatório anual do Instituto Nacional de Estatística (Istat), milhões de italianos passaram a fazer parte das estatísticas da pobreza. Isso inclui quem não pode pagar adequadamente a calefação, o que atingiu um quinto das pessoas em 2012, e nem consomem carne. Segundo o relatório as famílias que cumprem mais de quatro entre nove indicadores de pobreza são consideradas seriamente carentes. O índice atual é o dobro do que era em 2010, chegando a 8,6 milhões, ou 14 por cento da população.
A Itália é o país europeu onde uma maior parcela dos jovens nem estuda nem trabalha (23,9 por cento), segundo o relatório. No sul, região mais pobre do país, um em cada três italianos de 15 a 29 anos se enquadra nesse grupo.
O percentual de italianos em famílias incapazes de consumirem uma refeição rica em proteínas (como carne) a cada dois dias subiu de 6,7 por cento em 2010 para 16,6 por cento.
Mais de 50 por cento foram incapazes de viajar por pelo menos uma semana nas férias no último ano, disse o Istat, e a cifra chega a 69 por cento no sul.
Apenas 57,6 por cento dos jovens formados nos últimos três anos estão empregados, o que é abaixo da média europeia, de 77,2 por cento, segundo os dados.
O poder de compra dos italianos caiu 4,8 por cento no ano passado, um declínio causado por agressivos aumentos de impostos destinados a fortalecerem as finanças públicas, e após quatro anos de reduções menores, segundo o Istat.
O índice de poupança dos italianos, tradicionalmente alto, vem caindo constantemente, e já está abaixo da França e Alemanha. Também nesse quesito, a situação é mais preocupante no sul, segundo o relatório.

Papa Francisco pede a chineses cristãos para se manterem fieis ao Vaticano

Nesta quarta-feira (22) o papa Francisco fez um apelo aos católicos na China pedindo que se mantenham fieis ao Vaticano, cuja autoridade é desafiada pelos governantes comunistas da China.
Em sua audiência semanal na Praça de São Pedro ele orou para que os católicos da China recebessem "a graça de anunciar Cristo com humildade e alegria e serem fiéis à Igreja e ao sucessor de Pedro (o papa)". 
O antecessor de Francisco, o papa Bento 16, fez de 24 de maio um dia dedicado à oração pelos católicos da China. Bento tinha incentivado os dois lados da Igreja dividida na China a se reconciliarem e se engajarem em um diálogo discreto com Pequim sobre as relações políticas. Mas, em julho passado, o Vaticano condenou a nomeação de um bispo católico chinês sem sua aprovação. Um dos próprios bispos recém-ordenados de Roma, Thaddeus Ma Daqin, foi mantido sob prisão domiciliar desde que ele anunciou na mesma época estar deixando a Associação Patriótica Católica.
O Vaticano já condenou o que chamou de "pressões e constrições externas" sobre os católicos na China. Existem entre 8 e 12 milhões de católicos na China, divididos entre a Associação Patriótica Católica, sancionada pelo Estado e que designou bispos sem a aprovação do Vaticano, e uma ala clandestina leal ao Vaticano, que rejeita o controle estatal.
China e Vaticano romperam relações diplomáticas formais logo após os comunistas tomarem o poder na China em 1949.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Aleilton Fonseca lança Arlequim da Paulicéia no Salvador Shopping


"Em O arlequim da Pauliceia, Aleilton Fonseca destaca o amor de Mário de Andrade por São Paulo, ao mesmo tempo em que descobre novos sentidos em sua obra, mesclando excertos dela e fotografias das primeiras décadas do século 20. O resultado primoroso nos conduz a uma viagem nostálgica e poética."

sábado, 19 de janeiro de 2013

Tribos do Rock de volta ao vivo com Júlio Lucas


OUTRO OLHAR: Metacrítica (por Miguel Mensitieri)


Estreamos a temporada 2013 do MISCELÂNEA com uma velha novidade: a exemplo do espaço PAUSA PARA POESIA,  que pontua frequentemente este blog com trabalhos poéticos de autores diversos, resolvi também publicar crônicas e artigos críticos, que nem sempre refletem a opinião da nossa editoria mas levantam questões relevantes sobre assuntos variados. 
Pois bem, assim inaugura nosso OUTRO OLHAR, com seu artigo crítico sobre a crítica intitulado Metacrítica, o controvertido cronista, poeta e contista Miguel Mensitieri, autor do livro recentemente lançado Planos Entrelaçados.
_______________________________________________________________________

A indolência mental paralisa a vontade de ir além de uma estrutura simples, obriga a uma leitura de fácil assimilação apoiada no previsível e estratifica a percepção. É sempre bom navegar fora da ordem (sensação de descobertas), ir ao encontro de uma perspectiva caótica e, se possível, ordenar noutro nível tal desordem.
Críticos incipientes colocam a objetividade como principal condição para que se compreenda clara e simplesmente uma mensagem; eles não percebem a semente do dogma que germina e se instala na raiz dessas opiniões carentes de fundamentos teóricos e que respiram sob o signo do achismo – neologismo em ascensão.
Li um texto em que o autor condena com certo ranço de preconceito e em tom depreciativo alguns escritores que brincam com as palavras (os cordelistas adoram tal exercício criativo), rotulando-os de pretensos eruditos que se perdem em divagações subjetivas, produzindo textos vazios e herméticos. Ele não percebe que sem pretensão não se faz literatura. Quem mais pretensioso que Waly Salomão? E nem por isto deixou de produzir uma arte reconhecida e festejada. Quem mais pretensioso que o poeta português Fernando Pessoa que, por sua indiscutível universalidade, dispensa apresentação. Pretensão é vontade de ultrapassar limitações e isto se faz com muito trabalho. De uma pretensa erudição se abstrai importantes conhecimentos, num país sem educação de boa qualidade.
O autor afirma que o palavrório usado por muitos comunicadores não passa de uma tentativa de sobrepor ao comunicado conhecimentos que julgam possuir, com pretensa erudição. Nada se perde em literatura. O palavrório poderá ser transformado em texto cômico-satírico. Vitor Hugo é visto por alguns estudiosos como gênio literário, é autor de uma prolixidade imagética e lexical de encher os olhos e o saco, não obstante forte apelo social de seus romances. Não é grande a distância entre palavreado e prolixidade. O leitor inteligente e maduro é rápido na identificação de uma ironia.
Toda boa literatura deve, em determinado momento, envolver-se com o hermético, e todo grande autor navega meandros subjetivos. Não desprezo supostos “pretensos eruditos”, respeito-os por sua ousadia ao tentar buscar tal condição intelectual. Quantos eruditos existem no Brasil? Talvez dez, ou pouco mais que isto. Digo erudito no sentido mais amplo do termo. Devo salientar que não sou advogado dos milhões de “pretensos eruditos” desprezados pelo autor de “Crítica aos Críticos”. Prefiro um artista criativo sem erudição, a um grande erudito de frágil criatividade, ou nenhuma. Os cordelistas, quando não analfabetos, são limitados em gramática e outros conhecimentos, mas nos abrem páginas poéticas de grande beleza, no contexto da poesia popular. O genial Graciliano Ramos foi chamado de ignorante por importantes críticos e escritores do seu tempo.
Meu caro e bem intencionado articulista, ao citar Sócrates você deixou de acrescentar algo MAIS: ele sofisma ao dizer que “o que sei é que nada sei”. É um sábio que viaja ironicamente nas asas da modéstia e da humildade, no sentido de minimizar sentimento e convicção de superioridade; destarte, do alto de sua sabedoria proclama a fragilidade do gênero humano, sua pretensa insignificância, face à incomensurável grandeza do universo.
Tenho fácil interpretação para a expressão socrática “o que sei é que nada sei“. Se alguém sabe que nada sabe, já sabe alguma coisa, ou seja, sabe que nada sabe. Isto é lógica paradoxal. Sócrates é conhecedor de tudo que há em nada e de nada que existe em tudo.
É preciso fazer amor com o signo literário, ou jamais haverá simpatia e empatia entre leitor e texto à luz de cada parto.

Salvador, 25 de dezembro 2012.
Miguel Mensitieri.

domingo, 23 de dezembro de 2012

O Verão chegou. Saiba o índice ultravioleta para sua região e as recomendações da OMS

De acordo com informações disponíveis no site http://boasaude.uol.com.br, a radiação ultravioleta, conhecida como UV, faz parte da luz solar que atinge o nosso planeta e é essencial para a preservação do calor e a existência da vida. No entanto, em função dos buracos na camada de ozônio provocados pela nossa civilização estamos expostos a esta radiação sem qualquer proteção. Sem a camada de ozônio, os raios UV podem causar queimaduras, fotoalergias, envelhecimento cutâneo e até o câncer de pele.


Veja o máximo do Índice Ultravioleta para hoje na sua região no Brasil (meio-dia solar - céu claro - sem nuvens) e as precauções recomendadas pela Organização Mundial da Saúde. 






Mais informações no Portal da Sociedade Brasileira de Dermatologia: http://www.sbd.org.br/.

sábado, 22 de dezembro de 2012

Tribos do Rock especial de Natal

O Tribos do Rock deste sábado tem um gostinho especial de confraternização. São três razões para festejarmos: trata-se do primeiro programa depois do fim do mundo, véspera de Natal e último do ano apresentado ao vivo. Durante o recesso de férias o programa continuará indo ao ar pela 105 FM programado com aquela seleção de muito som legal. Só não será possível a participação do público solicitando músicas, dando sugestões e fazendo críticas. Em  2013 o TdR volta com Júlio Lucas no comando e muitas novidades. 

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

A quem interessa o fim do mundo que bate à porta mais uma vez?

O cinema explorou bastante a data fatídica antes da imprensa disseminar a opinião da ciência

Creio que esta seja a terceira vez que escrevo sobre o fim do mundo. Em 2000, antes da existência deste blog, publiquei um artigo no Jornal Actual, periódico local, intitulado: “Passamos pelo fim do mundo”. Mais recentemente revisitei o assunto, visto que as pessoas em toda parte do planeta parecem não conseguir viver sem tais previsões catastróficas. Nesta ocasião, a crônica foi postada neste blog: “Passamos pelo fim do mundo novamente”. Agora, resolvi fazer uma pesquisa na internet e encontrei mais de uma centena de datas frustradas do famoso cataclismo que me despertaram outra vez para o tema, sempre no intuito de desmistificá-lo. 
Autores fazem fortuna com publicações apocalípticas

Sejam religiosos, supersticiosos, místicos, pseudo-cientistas, empresários ou, simplesmente, lunáticos, o fato é que os anunciadores do apocalipse sempre encontram ressonância nos veículos de comunicação sem qualquer responsabilidade com as possíveis consequências das suas previsões. Sabemos que nenhuma das malfadadas profecias passadas culminou na destruição do planeta, senão não estaríamos aqui contando essas histórias. Mas, é certo que muitas delas acabaram por provocar tumultos, saques, suicídios, prejuízos financeiros, revoltas e até mesmo grandes tragédias. Em vários casos, no entanto, ocorreu fama e muito dinheiro para os falsos profetas e aproveitadores da situação. 
Stoeffler causou tragédia com sua profecia 

Um dos fatos mais famosos e trágicos da história foi o caso do catedrático de uma universidade e conselheiro da corte, tido como fonte idônea, Johannes Stoeffler. Por sua reputação na Alemanha, o astrólogo convenceria o conde Von Iggleheim a construir uma arca de três andares. Ele previu que aconteceria um dilúvio em 20 de fevereiro de 1524. Stoeffler falava sobre isso desde 1499. Centenas de livros foram publicados sobre o assunto, e muitos astrólogos confirmaram a teoria interpretando sinais da chegada da catástrofe. No dia previsto, logo pela manhã começou a chover torrencialmente. Uma multidão entrou em pânico e tentou invadir a arca. Tentando defender a propriedade, o conde matou uma pessoa com sua espada, mas morreu pisoteado. Antes do final do dia, a população local tinha se chacinado mutuamente. Crianças, velhos e mulheres sucumbiram no tumulto. A arca foi destruída. Diante do desastre que provocou e sobreviveu, Stoeffler argumentou que sua previsão se consolidara: afinal, uma desgraça tinha acontecido. E resolveu então prever novo fim do mundo para 1528. 

Mais recentemente outro suposto profeta ficou famoso: o pastor norte-americano Harold Camping, proprietário de uma rede de comunicação, previu várias vezes que o mundo iria acabar. Para ele, o apocalipse de 1994 não aconteceu por erro de cálculo e transferiu a data para 21 de maio de 2011. Desta vez, a defasagem foi de cinco meses e a grande catástrofe passou para 21 de outubro do mesmo ano. Por fim, após mais um fracasso profético, ele se convenceu que o erro estava nele, que não é gênio. Creio que esta tenha sido a coisa mais certa que ele revelou. 
Atualmente, toda vez que se anuncia o fim do mundo, novos produtos e serviços chegam ao mercado. Livros, artigos, documentários, conferências, filmes de ficção, séries e novelas televisivas e promoções publicitárias chamam atenção dos incautos e enchem as contas bancárias dos espertos. Lunáticos ou empreendedores conscientes sobre o pânico alheio investem tudo o que têm nas suas versões mirabolantes de arcas, abrigos anti-catástrofes e campos de pouso para discos voadores. Outros faturam oferecendo serviços de abrigos espirituais blindados durante o período em que o mundo estiver acabando. Vale lembrar que a passagem para um novo mundo, no entanto, não custa pouco, e o pagamento é sempre antecipado, obviamente. A celeuma também gera rendimentos aos especialistas que se dedicam em provar o contrário. 
Geralmente em datas redondas do Calendário Gregoriano as profecias catastróficas se atropelam. No ano 1000, a ignorância causaria muitos problemas. Em 2000, não foi diferente. A ambição é tanta, que a mídia deixou subentendido que a virada do milênio seria de 1999 para 2000. A indústria do entretenimento promoveu Reveillons milionários  por toda parte antes que o mundo acabasse. A correta data só seria disseminada pela imprensa quando já era tempo de renovar as expectativas e se planejar de novo para a verdadeira virada do milênio no final de 2000 para 2001. Novas campanhas publicitárias foram retomadas pelos veículos de comunicação e outros serviços e produtos anunciados. 
Nesta semana, estamos mais uma vez às vésperas do fim do mundo. Agora, os números curiosos apontam a próxima sexta-feira (21/12/12) como data final. Exímios astrônomos, os maias, criaram vários calendários simultâneos que funcionavam como uma engrenagem. O último ano registrado por eles, 5126, corresponde ao nosso 2012 e não sei por que cargas d’água eles não fizeram mais calendários. Mas, mal passa uma data frustrada da hecatombe e outra se instala imediatamente. Como o suposto dia fatídico está na esquina, visto que hollywood e grandes corporações já faturaram fortunas com a ignorância das massas, chegou a vez dos telejornais e revistas darem voz à ciência que afirma categoricamente não existirem indícios de catástrofes que culminem com término da vida na Terra nos próximos dias. Alguns místicos entendem que se trata simplesmente do final de um ciclo espiritual. Uma oportunidade para mudança de consciência coletiva. Menos mal. 
Enquanto isso, novas datas são especuladas. Caso o mundo não acabe neste fim de semana, o asteroide Apofhis já foi escolhido como a bola de fogo da vez. Ele vai passar no ano de 2029 perto da Terra, e já é o vilão do próximo fim dos tempos. Se sua primeira passagem não ocasionar nenhum estrago, a segunda, mais próxima ainda da Terra, já está prevista para 2036. E desta vez, garantem os novos profetas do apocalipse, não teremos saída. 

Em 1910 o Halley ainda associado à catástrofe
não deixou de ser explorado comercialmente
Isso me faz lembrar o alarde da passagem do cometa Halley em 1986, faceta depois apelidada por muitos como a farsa do século. Agitaram a imaginário popular, com a conivência dos meios midiáticos, enquanto promoviam-se campanhas milionárias de interesse de alguns grupos econômicos. Ainda em 2010, no entanto, a passagem do Cometa Halley, a partir da informação que havia gás letal em sua cauda, gerou pânico em todo o mundo e fortuna em algumas contas bancárias. Especulações abriram as portas para a exploração comercial e religiosa do fenômeno. Máscaras, roupas e comprimidos contra o gás foram algumas das criativas soluções na época para a sobrevivência ao final dos tempos.
Discreta no céu, a última passagem do cometa
deixou um rastro de produtos e serviços
pela indústria do entretenimento na Terra
Para a última passagem do cometa, em 1986, viagens espaciais e várias pesquisas justificaram, com o perdão do trocadilho, gastos astronômicos. Devido a desmistificação em decorrência da experiência de quase três décadas da era espacial, provavelmente a lenda do fim do mundo por causa do cometa não vingaria desta vez. Mesmo assim houve a disseminação de equívocos para que alguns grupos se capitalizassem com o fenômeno. Máquinas registradoras não paravam enquanto telescópios, camisetas, brinquedos, merendeiras, mapas estelares, suvenires de todo tipo, livros, capas de cadernos, eventos, músicas, filmes e novelas davam a falsa impressão de que o imenso astro luminoso seria visto por todos. Uma enxurrada de lunetas imprestáveis foi despejada no mercado global até que os telejornais, às vésperas da melhor data para observação, finalmente admitissem que não seria tão fácil ver o Cometa Halley sem equipamento adequado. 
Eu, adolescente na época, tive mais sorte que a maioria dos terráqueos. Me acotovelei entre dezenas de pessoas para ver por alguns segundos através do teodolito de um vizinho topógrafo o pequeno astro nebuloso, sem graça e sem cauda aparente. Aos que nada viram naqueles dias, só lhes resta torcerem para que o mundo não acabe antes do próximo periélio, em 2061. Se vivos e lúcidos poderão tentar se deslumbrar com aquele prometido astro luminoso que quando não destrói o planeta deixa seu rastro brilhante pelo céu.
________________________________________________________________________________
Veja no link a seguir centenas de datas previstas para o fim do mundo que nunca aconteceu, de acordo com o site sandcarioca.wordpress e outras fontes de pesquisa. 

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Ex-secretário de Cultura propõe em carta aberta que imóvel federal ocupado indevidamente abrigue unidade da PM


CARTA ABERTA AO CEL. SERPA: 
antiga Biblioteca deve servir às atividades literárias 

Artistas, vereadores e Conselho Comunitário se manifestam a favor da
Antiga Biblioteca abrigar ALJ. Administração municipal silencia.



Imóvel federal, que já abrigou Guarda Municipal, Filarmônica e Can, 
atualmente ocupado indevidamente por particular, poderia servir a PM 
Logo após o prefeito de Jequié, Luiz Amaral, ter decidido transferir o prédio da antiga Biblioteca Municipal de Jequié, na Avenida Rio Branco, para a Polícia Militar transformar o imóvel em um quartel, depois da reforma, surgiram diversas opiniões contrárias à decisão do chefe do Executivo. Há, inclusive, um projeto aprovado pela Câmara de Vereadores solicitando o espaço para a Academia de Letras de Jequié a fim de que esta instituição transforme o local em um espaço de leitura. Várias entidades sociais, como o Conselho Comunitário, também aprovam a proposta do Legislativo Municipal, mas o prefeito ainda não apresentou publicamente uma mudança de opinião. Por conta disso, o Sr. Benedito Sena (Bené), ex-Secretário Municipal de Cultura, apresenta a CARTA ABERTA abaixo direcionada ao Cel. Serpa pedindo para que ele desconsidere a oferta do prefeito Luiz Amaral, “pois este senhor perdeu a razão e o respeito à memória e ao patrimônio material e imaterial do Povo de Jequié”, e apresenta a sugestão de outro móvel público, situado na antiga Estação (onde funciona o corpo de Bombeiros), para o trabalho da corporação militar. Leia:
______________________________________________________________________________
CARTA ABERTA
Cel. Serpa
Digníssimo Comandante do 19º Batalhão da Policia Militar
Prezado Senhor,
A foto mais abaixo, nesta postagem, é de uma casa que pertence ao povo de Jequié. Cedida pela Rede Ferroviária Federal à Prefeitura de Jequié em regime de comodato, serviu à Guarda Municipal, Filarmônica Amantes da Lira, CAN. Quando estive Presidente do Conselho de Cultura lembrei-me dessa casa para utilizá-la como sede do Conselho e fui informado que a mesma estava sendo ocupada por um senhor que mora no fundo do imóvel. Uma ocupação ilícita a olhos nus.
Buscando judicialmente os meios para que este bem público fosse devolvido ao povo, entrei com uma ação no Ministério Público Federal para reavê-la. Existe, portanto, um processo em andamento que V.Sa. juntamente com o poder Público Municipal pode agilizar para que dessa forma esta referida casa seja utilizada para o quartel no lugar do velho Prédio da Biblioteca Municipal. Esse nosso pedido insistente e desesperador tem uma razão que o senhor entenderia se tivesse passado parte da juventude naquele templo da leitura. O Velho Prédio da Biblioteca tem que ser reutilizado para o livro e a Academia de Letras quer utilizá-lo como sede e biblioteca explicitamente literária.
Por especial obséquio, atenda essa nossa sugestão. Trata-se de um pedido que reflete, espelha a vontade de muitos jequieenses. Se houver algum comodato acordado com o Senhor Luiz Amaral relacionado com o prédio da Biblioteca desfaça-o, pois este senhor perdeu a razão e o respeito à memória e ao patrimônio material e imaterial do Povo de Jequié.
Confiamos no respeito e no cuidado que V.Sa. tem demonstrado ao nosso povo
Atenciosamente,
- Benedito Freire Sena – Cidadão jequieense
______________________________________________________________________________
Publicado originalmente no Gicult




quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Grande encontro de atrações alternativas em Jequié


 Que Jequié é uma terra de muitos talentos, isso todo mundo sabe, mas faltava um grande evento que reunisse boa parte deles. Não falta mais. Quem mora na região sudoeste e gosta de boa música, não pode mais reclamar, pelo menos esta semana. Vai acontecer no Palácio das Artes o maior festival de música alternativa já visto em Jequié, o Caatinga Free Sound. 
A data é histórica por alguns fatores específicos: a reunião de talentos de vários estilos musicais: Reggae, rock, pop rock e rapp; a iniciativa da própria rapazeada que agita o cenário há algum tempo: Mandacaroots, Neubera Kundera, Semente Nativa, Shau e Os Aneis de Saturno, Tony MC e Nino Boy; tráta-se do primeiro registro profissional em DVD da cena local. Definitivamente vai ser uma grande festa de confraternização em torno da boa música.
De acordo com os organizadores, os ingressos estão quase esgotados. O evento será nesta sexta-feira (14), no Palácio das Artes e começa às 19h. A casadinha custa 30 reais e os pontos de venda são: Êba Camisetas, Raio Do Sol, Terral Surf, Mundo Basico e Artcorpus Jequié, além de promotores espalhados pela cidade. Imperdível!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Público abaixo do esperado em Madonna e Lady Gaga indica arrefecimento da indústria do espetáculo no Brasil

Shows como o de Paul Mccartney no Recife 
deverão ser mais raros em 2013
As vendas abaixo do esperado dos ingressos para ver Madonna e Lady Gaga parecem sinalizar que a onda de megaeventos no Brasil foi boa enquanto durou. O indicativo do arrefecimento foi confirmado pela própria T4F, maior empresa do setor na América Latina, responsável pela organização dos shows das badaladas estrelas pop. A empresa soltou comunicado ontem: “Nossos resultados poderão sofrer impacto negativo substancial no exercício de 2012”, afirmou Marcelo Martins Louro, diretor de Relações com os Investidores da T4F, a primeira empresa a fazer esses grandes eventos em série. 
Certamente a corrida com muita sede ao pote é uma das principais responsáveis pelo freio no Show business que este ano trouxe tantos artistas internacionais ao Brasil. O rápido aumento da concorrência produzindo grande quantidade de eventos e os ingressos a preços elevados, afastaram o público que viu que nem toda festa é festa. 
Rapidamente na cola da T4F, correram para o nicho de mercado as poderosas Geo Eventos (da Globo), a XYZ (do grupo de mídia ABC), e a IMX (de Eike Batista). E quem afirma isso, conforme publicado no IG, é o próprio Léo Ganem, presidente da Geo, “Como toda onda, uma hora quebra: o dólar subiu, o consumidor se endividou e estamos passando por um período de ressaca”. O que ele esqueceu de dizer é que o tsunami foi realmente veloz e é possível que os efeitos colaterais se prolonguem por muito tempo. 
Mas, para os caçadores de grandes shows musicais nem tudo está perdido. Para 2013, as empresas deverão investir mais nos festivais, em detrimento dos shows individuais, das estrelas internacionais, assim, permanecem garantidos o Lollapalooza e o Rock in Rio. Já o retorno do ex-Beatles, Paul Mccartney, por mais um ano consecutivo, com apresentações em várias capitais brasileiras, incluindo Recife, não deve estar mais nos planos dos organizadores por enquanto. 
Na Bahia, a coisa continua soando tão triste quanto uma alegre canção de pagode: "vai descendo até o chão", sem muita diversidade, quando o assunto é megaevento de verdade.
Com informações do IG.

Acontece este fim de semana a segunda edição do Festival de Teatro de Bonecos da Bahia

Em 2011, A Lenda do Dragão Encantado, da Cia de Teatro O Ar da Caixola, de  Salvador, foi premiada nas categorias melhor espetáculo e melhor direção

Acontece este fim de semana, de sexta (14/12) a domingo (16/12), o II Festival de Teatro de Bonecos da Bahia. 
A edição deste ano apresenta montagens de Feira de Santana, "O aniversário da Princesinha Papelotes", Itaberaba, "O caminho da floresta", e da cidade Rio de Contas, "A arma secreta do coronel". 
De acordo com seus organizadores, o projeto, sob curadoria de Álvaro Araújo e direção de produção executiva de Alysson Andrade, tem entre seus principais objetivos o fomento da produção de espetáculos de teatro de animação, a colaboração na formação de multiplicadores do setor criativo, bem como possibilitar o surgimento de novos grupos no interior da Bahia. O festival conta com o patrocínio do Fundo de Cultura da Bahia, SecultBA e Funceb.
Os espetáculos acontecem no Centro de Cultura ACM, em Jequié, sempre às 15h. O acesso é gratuito e indicado para todas as idades. 


Dupla comemoração: Douglas de Almeia recita poemas de Ruy Espinheira Filho na data do aniversário de ambos


PAUSA PARA POESIA: 70 Anos (Ruy Espinheira Filho)


terça-feira, 11 de dezembro de 2012

O poeta José Inácio Vieira de Melo conta um pouco sobre a sua história para o Jequié Notícias


JN: Quem é José Inácio Vieira de Melo?

JIVM: Um caatingueiro que vivencia a poesia do Cosmo. Um filho da imensidão, um poeta do Sertão.

JN: Como começou a sua relação com a Cidade Sol?

JIVM: Sou alagoano de origem. Em 1988, vim morar na Bahia, no município de Maracás, onde permaneci por uma década e criei laços afetivos que perduram até hoje. Logo no primeiro ano, vim visitar Jequié. Aliás, vinha sempre a Jequié, ao menos uma vez a cada quinze dias, para fazer compras ou para ir a algum médico. Na primeira vez que estive em Jequié, ainda em 1988, comprei, na livraria Sol, dois livros que foram de fundamental importância para o meu imaginário poético: Os Peãs, de Gerardo Mello Mourão, e Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa. Outro acontecimento de suma importância em minha vida, que aconteceu em Jequié, foi o nascimento de meus dois filhos: Carlos Moisés, em 2000, quando ainda morávamos em Salvador, e Gabriel Inácio, em 2007, já residindo aqui, na Cidade Sol.
Como pode perceber, a minha relação com Jequié começou com dois livros e se consolidou com dois filhos. Qualquer dia plantarei duas árvores por aqui.

JN: Desde quando surgiu o seu interesse pela poesia? Já são quantos livros publicados?

JIVM: Desde sempre. Desde que eu me entendo por gente.
Seis livros publicados. Organização de algumas antologias. Participação em várias antologias no Brasil e em outros países. Coordenação de vários projetos e participação em tantos outros pelo Brasil adentro e pelo mundo afora. No momento estou a divulgar meu novo livro, Pedra Só, nos projetos para os quais sou convidado a fazer palestras e recitais, onde sempre faço, também, meus lançamentos. Neste ano, fiz 15 lançamentos do Pedra Só distribuídos em cidades dos estados de São Paulo, Pernambuco, Bahia e Distrito Federal. Para o primeiro semestre de 2013, recebi convites – e já confirmei minha participação – para eventos em Minas Gerais (Fórum da Letras de Ouro Preto), Rio de Janeiro (Corujão de Poesia), Alagoas (Simpósio Internacional de Artes de Penedo), Paraíba (Semana Augusto dos Anjos), Rio Grande do Norte (Academia Norte Rio-Grandense de Letras) e, claro, na Bahia (diversos eventos em várias cidades).

JN: Hoje em dia escritores como Caio Fernando de Abreu, Clarisse Lispector, Charles Bukowski etc. viraram febre nas redes sociais por citações de internautas. Como você avalia esse cenário levando em conta que muitos desses internautas provavelmente nunca leram um livro desses autores e as tomam emprestadas para parecerem mais “profundos”.

JIVM: Acho positivo. Antes ler uma frase de efeito do Mia Couto ou um verso famoso do Ferreira Gullar do que não ler nada. Quem sabe se de uma citação o internauta não chegue ao livro? A profundidade vai de acordo com o fôlego de cada um. 

JN: Quais são os seus projetos para o futuro?

JIVM: E o que sei eu do futuro? Apenas vou vivenciando a poesia que me é possível. Um passo de cada vez. Um dia depois do outro.

Entrevista concedida originalmente para o Jequié Notícias

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O que o mundo acha de Luiz Gonzaga?


Para os brasileiros que ainda não perceberam o valor da cultura nordestina e a dimensão de um artista chamado Luiz Gonzaga, segundo a Wikipedia, "uma das mais completas, importantes e inventivas figuras da música popular brasileira" - nascido em 13 de dezembro de 1912 na cidade de Exu e nos deixou no dia 2 de agosto de 1989 em Recife - vale a pena ver o que talentos de outras partes do mundo acham disso. Assista aos videos a seguir:






Luiz Gonzaga cantando acompanhado da sanfona, zabumba e do triângulo, levou a alegria das festas juninas e dos forrós pé-de-serra, bem como cantou a pobreza, as tristezas e as injustiças de sua árida terra, o sertão nordestino, para o resto do país, numa época em que a maioria das pessoas desconhecia o baião, o xote e o xaxado
Admirado por grandes músicos, como Dorival Caymmi, Gilberto Gil, Raul Seixas, Caetano Veloso, entre outros, o genial instrumentista e sofisticado inventor de melodias e harmonias, ganhou notoriedade com as antológicas canções "Baião" (1946), "Asa Branca" (1947), "Siridó" (1948), "Juazeiro" (1948), "Qui Nem Jiló" (1949) e "Baião de Dois" (1950).

Hoje Luiz Gonzaga é fonte de estudos de pesquisadores em várias partes do mundo, teve sua vida contada em livro, no teatro e no cinema e cada vez mais é reverenciado por artistas em várias línguas estrangeiras. 



Com informações da Wikipedia.



Espetáculo/jogo Algaravias homenageia Waly Salomão

A expectativa de uma montagem em Jequié vem despertando a curiosidade de muita gente, inclusive a minha. “Algaravias - O Marujeiro da Lua”. Trata-se de um espetáculo/jogo, como seus próprios organizadores definiram, que se baseia na vida, na obra, e na poética do jequieense Waly Salomão. 
A própria divulgação do curioso espetáculo/jogo é um show à parte compartilhado nas redes sociais. As fotos do grupo com peças coloridas formando o nome "Algaravias" são inspiradas nas letras do poema "Alfa Alfavela Ville", de autoria de Waly, confeccionadas pelos artistas plásticos Oscar Ramos e Luciano Figueiredo, que resultaram em uma performance coletiva com outros artistas na praia de Copacabana. O registro original aconteceu em 1972 pelo cineasta Ivan Cardoso para a revista "Navilouca". 
Seguindo a tendência do poeta homenageado que buscou outras possibilidades para sua poesia, além do papel, a estreia acontece nas dependências do belíssimo Museu Histórico de Jequié. 
As surpresas não param por aí: quem quiser assistir ao espetáculo montado pelo GPO - Grupo de Pesquisa Olaria, basta levar um livro de poesia. Isso mesmo, um livro de poesia. Atenção que os ingressos serão trocados uma hora antes no próprio Museu. O espetáculo/jogo vai acontecer no próximo fim de semana (de 13 a 16 de dezembro). 
A Direção e Dramaturgia é de Roberto de Abreu. Os Jogadores: Emanuelle Nascimento, Jomir Gomes, Matheus Xavier, Mônica Alves, Mylena Oliveira, Pyter Rodrigues. Assistência de direção: Silvana.
Parece que finalmente sintonizaram o espírito criativo e transgressivo do filho ilustre de Jequié que nunca prescindiu das sua terra natal. Me arrisco em dizer: ainda não vi, mas já gostei.


sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Bazar NQfez: Bom gosto e exclusividade no Palácio das Artes




Armarinho de Miudezas: Oito anos de boa música no rádio

Bené Sena, quando secretário, à frente do São João cultural. (FOTO: Jequié Notícias)

Criado em 5 de dezembro de 2004, o programa Armarinho de Miudezas, apresentado pelo músico Bené Sena, trouxe para os ouvintes um repertório diversificado através da programação da FM 104.9, a 105 FM, todos os domingos, das 8 às 11h.
“O programa apresenta música escrita do barroco ao século 20, popular e erudita. Também incluímos poesias e comentários sobre os compositores e músicos. O nome é uma homenagem ao artista Waly Salomão, um jequieense que deixou um grande legado no cenário cultural do país”, explica Bené, que mantém um dos poucos programas do gênero no Brasil, ainda sem o apoio cultural e patrocínios que merece.
Nesses 8 anos de existência, o Programa mostra que a boa música e a arte de qualidade precisam ser cultivadas e se imortalizam pela perseverança dos abnegados que, como diz Chico Buarque na canção “Gente Humilde”, vão ‘em frente sem ter com quem contar’.
Originalmente publicado no Gicult.
____________________________________________________________________________
Bené Sena é músico instrumentista e foi secretário de Cultura e Turismo do município de Jequié. Ocasião em que implementou várias ações para inserir Jequié no Plano Nacional de Cultura e organizou a festa do São João valorizando aspectos culturais e artistas regionais sem deixar que o evento perdesse a grandiosidade com grandes estrelas da música brasileira. 

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Novos imortais tomam posse na Academia de Letras de Jequié


A Academia de Letras de Jequié-ALJ realizou sessão na noite de quarta-feira (28/11) no auditório do Colégio Modelo Deputado Luiz Eduardo Magalhães, sob a presidência de Adilson Gomes e secretariada por Álvaro Gouveia Veiga, para empossar quatro novos acadêmicos. Com recepção da acadêmica Maribel Barreto, tomou posse na cadeira de nº 9, que tem como patrono João Bastos, o engenheiro e escritor Jair Tércio Cunha Costa, residente em Salvador, Grão Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado da Bahia, que assumiu a vaga do fundador, escritor e poeta Pacífico Costa Ribeiro; com recepção do acadêmico Leonan Oliveira, foi empossada na cadeira de nº 01, que tem como patrono Lindolpho Rocha, a poetisa Jussara Midlej, ocupando vaga do jornalista, poeta e cronista, Luiz Neves Cotrim; Domingos Ailton Carvalho, fez a recepção da escritora e poetisa Sonilda Sampaio, que assume a cadeira de nº 20, que tem como patrono Juvêncio Menezes e ocupa vaga do escritor Manoel Sarmento; Júlio Lucas, fez a recepção da escritora Zilda Freitas, que passou a ocupar a cadeira de nº 28, que tem como patrono Mário Lins, passando a ocupar vaga do jornalista, cronista e escritor Pedro Paulo Braga. O jornalista Domingos Ailton, fez convite aos presentes para participarem da Festa Literária do Sertão de Jequié, que está sendo realizada na cidade, com as presenças de renomados escritores brasileiros e criticou a destinação por parte da prefeitura, do prédio onde funcionou por muitos anos a Biblioteca Municipal Newton Pinto de Araújo, para instalação de um organismo policial militar, “quando deveria ser destinado o imóvel para as atividades literárias”, sugeriu. No final da sessão, o presidente Adilson Gomes convidou os presentes para participarem na próxima sexta-feira (30/11), às 20h no auditório do Centro Estadual de Educação Profissional Régis Pacheco (antigo IERP), da solenidade de premiação com a comenda Ordem do Mérito Cultural Luiz Cotrim.
Originalmente publicado no Jequié Repórter, por Wilson Novais Jr. 

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Manzuá e Neubera Kundera agitam noite no Gianna


Festa Literária do Sertão de Jequié começa nesta quinta



O regional que se torna universal 

Festa Literária revela a dimensão global de ícones nordestinos 
e discute temáticas diversificadas

Entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro a cidade de Jequié, localizada a 365 km de Salvador, sediará a primeira edição da Festa Literária do Sertão de Jequié. Com o tema central “O regional que se torna universal”, o evento pretende revelar a força global de ícones da cultura nordestina e discutir outros assuntos relacionados à literatura e outras linguagens artísticas.
No primeiro dia do evento o participante poderá ter uma ideia da variedade que marcará a programação. O escritor, jornalista e sociólogo Mouzar Benedito vai falar sobre mitologia brasileira e lança uma coleção de seis livros sobre mitos ecológicos da cultura de tradição oral no Brasil: O Saci - guardião da floresta; A Iara - encanto das águas; O Curupira - nosso gênio das matas; O Caipora - amigo dos bichos; O Boitatá - este mito é fogo!; Lobisomem, Cuca e Mula sem Cabeça - importados e naturalizados. Mouzar não se limitará à mitologia. Ele vai abordar também a história de Luiz Gama e lançará ainda o livro Luiz Gama, libertador de escravos, e sua mãe libertária, Luíza Mahin

O jornalista Carlos Souza Yeshua enfocará a estratégia mercadológica de Paulo Coelho que o transformou no escritor com mais de 100 milhões de livros vendidos e o autor vivo mais traduzido em todo mundo. O tema da palestra é Paulo Coelho – O Mago da Literatura. Carlos Souza Yeshua fará também o lançamento do livro que contém uma coletânea de artigos intitulado Carta ao Presidente - Brasileiros em busca da cidadania
A professora Maribel Barreto discorrerá sobre o tema A razão como base para desenvolvimento da consciência e lançará seu livro Ensaios sobre Consciência. 

Uma oficina sobre criação literária de crônicas será ministrada pelo escritor e professor Vitor Hugo Martins. Antes do Passado, o silêncio que vem do Araguaia: memória, verdade e história brasileira é o tema da palestra da  escritora Liniane Haag Brum, que também lançará um livro sobre o assunto

Centenários - Os cem anos de nascimento de Jorge Amado e Luiz Gonzaga e de criação do Jornal A TARDE serão lembrados. O diário baiano será homenageado por conta de seu apoio à produção literária baiana e por ser fonte de pesquisa para textos literários. Uma mesa redonda sobre curiosidades do Jornal A TARDE terá a participação dos jornalistas Carlos Ribeiro, Heloísa Sampaio e Marjorie Moura e o veículo  será representado na homenagem pelo seu gerente comercial, Edmilson Vaz.
A dimensão da obra de Jorge Amado será abordada em painel com a participação dos escritores e estudiosos dos textos amadianos Gildeci Leite, Adriana Barbosa, Bohumila Araújo e  Domingos Ailton;
O professor Erisvaldo Pereira dos Santos falará sobre Religião de matriz africana na literatura de Jorge Amado: a propósito do texto "O compadre de Ogum”. O professor Gildeci Leite lançará também o seu livro Jorge Amado: da ancestralidade à representação do orixás. A produção musical de Luiz Gonzaga terá como debatedores o cineasta Robinson Roberto, o jornalista César Rasec e os músicos Lourival Eça e Carlos Éden. Neste painel o   cineasta Robinson Roberto revelará imagens e informações inéditas sobre o Rei do Baião. Uma delas mostra o anão, que era de Jequié e integrou o trio   musical de Gonzagão. O poeta e cronista Luis Cotrim, um dos fundadores da Academia de Letras de Jequié e ícone do mundo literário da cidade, falecido  no último dia 3 de novembro aos 95 anos será também homenageado com dois documentários, um  de  Robinson Roberto e outro de Júlio Lucas. Cotrim será homenageado ainda com a entrega da Ordem do Mérito Cultural Luis Cotrim.
Contracultura dos anos 60 - A contribuição de artistas jequieenses para a contracultura dos anos 60 será um tema de discussão por parte dos cineastas Tuna Espinheira, Robinson Roberto, do artista plástico Dicinho e do ex-presidente da Agência Nacional de Petróleo - ANP, Haroldo Lima. Já o professor Luciano Costa Santos vai enfocar em sua palestra “Cultura nacional, modernidade e globalização”.
Adaptações literárias - O processo de  adaptação de uma obra literária para o teatro, o cinema e a televisão será o foco de discussão de um painel que contará com a participação dos cineastas Tuna Espinheira e Guido Araújo, dos jornalistas Joaquim Botelho e Rogéria Gomes e do ator Robério Lima, que interpretou “o professor” no filme Capitães da Areia, de Cecília Meireles, adaptado do romance de Jorge Amado.
Os  escritores Domingos Ailton, Carlos Ribeiro e  Morgana Gazel falarão sobre o poder de transformação da literatura. Poética visual na internet: a experiência das Concrecoisas é o tema da palestra do jornalista, compositor e poeta César  Rasec. O processo de produção e circulação de um livro terá como expositores os escritores Valdeck Almeida de Jesus, Roberto Leal e Carlos Souza. A jornalista e escritora Rogéria Gomes discorrerá sobre a história do teatro no Brasil e as grandes atrizes que marcaram os palcos brasileiros.
Literatura no contexto atual do Brasil é o tema da conferência de encerramento do evento, que terá como palestrante o presidente da União Brasileira de Escritores – UBE, o jornalista e escritor Joaquim Botelho.

Filmes - Não só debates compõem a programação da Festa Literária. Atividades culturais, como encenações teatrais, recitais de poesia, contação de histórias, declamação de cordéis e exibição de filmes de ficção e videocomentários também farão parte do evento. Serão exibidos Cascalho, de Tuna Espinheira, Cine Jequié e Luís Cotrim, de Robinson Roberto, Ambiente Natural e Memória de Contendas do Sincorá e O Candomblé na Cidade de Jequié, de Domingos Ailton, Testemunho de um leitor de Jorge Amado, de  Carlos Pronzato,  Caçadores da Alma, de Silvio Tendler e Luis Cotrim – Poeta Dourado, de Júlio Lucas.
A Festa Literária do Sertão de Jequié conta com chancela e apoio da Pró-Reitoria de Extensão  e Assuntos Comunitários da UESB,  da Academia de Letras de Jequié e da União Brasileira de Escritores - UBE.

Clique no link a seguir para ver toda a programação:

Novos acadêmicos tomam posse na ALJ



Na noite de quarta-feira (28/11) acontece a solenidade de posse dos novos membros da ALJ - Academia de Letras de Jequié. O evento será realizado às 19h30 no auditório do Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, na avenida César Borges.

Novos acadêmicos da ALJ:

Jair Tércio Cunha Costa - vai ocupar a cadeira 9, tem como fundador: Pacífico Ribeiro e patrono, João Bastos;

Jussara Almeida Midlej Silva, ocupará a cadeira 01, tendo como fundador: Luís Cotrim e patrono, Lindolfo Rocha;

Sonilda Sampaio S. Pereira, cadeira 20, fundador, Manoel Sarmento e patrono Juvêncio Menezes;

Zilda Oliveira Freitas - cadeira 28, fundador: Pedro Paulo Braga e patrono: Mário Lins.







sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Miguel Mensitieri lança livro em Jequé


A semana que se aproxima promete ser bem agitada no meio literário de Jequié. Além da Festa Literária do Sertão de Jequié que promete reunir importantes nomes nos auditórios da Uesb e do Ierp, e a posse dos novos membros da ALJ - Academia de Letras de Jequié, o cronista, compositor e poeta Miguel Mensitieri vai lançar seu livro de contos e poemas Planos entrelaçados. 

A sessão de autógrafos vai acontecer às 19h na livraria Divino Mestre, na rua Barbosa de Souza, 25, no edifício Bizon Empresarial e contará com a participação do cantor e compositor Paulinho Jequié. 
Planos entrelaçados, revela o autor, é "uma viagem com 28 paradas, e em cada estação o leitor tomará conhecimento de eventos tragicômicos que assolam o país".




sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Conferência Musicada “Falando e Cantando com a Ancestralidade”


Mateus Aleluia, brasileiro, natural de Cachoeira - Bahia, compositor e cantor, remanescente do grupo vocal Os Tincoãs, é o autor do projeto designado por: "O Musical em Palestra Afro", cujo enredo tem como foco, a mestiçagem artística cultural baiana, ressaltando como o fio condutor deste processo, a cultura e história da África.

Hoje, dia 16/11, às 19h30 no Auditório da UESB /Jequié - Conferência Musicada “Falando e Cantando com a Ancestralidade”

Conselho Municipal de Saúde promove manifestação pública em Jequié

Plenária do CMS aprova mobilização. (Foto: Gicult)

Com grande participação dos conselheiros, aconteceu no final da tarde desta quarta (14) uma reunião do Conselho Municipal de Saúde de Jequié. Diante da crise do sistema de saúde do município, os presentes apreciaram uma extensa pauta, que incluiu as questões relacionadas aos Agentes Comunitários, as deficiências de funcionamento das unidades de saúde, a resposta do secretário Belmiro aos questionamentos do CMS. Além disso, foi aprovada uma comissão para elaborar um documento para a prefeita eleita, inclusive com a apresentação de um perfil do novo secretário ou secretária de saúde. "A pessoa precisa ter conhecimento de saúde publica e ter compromisso com o SUS. É fundamental que tenha capacidade de diálogo e autonomia para agir para atender as demandas da pasta", afirmou Rita Rodrigues, presidente do Conselho Municipal de Saúde.
Por último, o Conselho aprovou a proposta de se realizar uma manifestação pública por uma saúde de qualidade no próximo dia 20 de novembro, a partir da 15h30, com saída do Campo do América, em frente ao Ministério Público Estadual. A caminhada vai até à Câmara de Vereadores, local onde um integrante do CMS falará sobre a situação da saúde na cidade.
Texto publicado originalmente no site Gicult.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...